Curiosidades

Vídeo - Augusto Nunes dá tapa na cara de Greenwald após ser chamado de ''covarde'

jornalista Augusto Nunes agrediu o americano Glenn Greenwald ao vivo, no programa Pânico na rádio da Jovem Pan

Vídeo - Augusto Nunes dá tapa na cara de Greenwald após ser chamado de ''covarde'

O jornalista Augusto Nunes, comentarista do Jornal da Record, agrediu o jornalista americano Glenn Greenwald, um dos fundadores do The Intercept, com um tapa no rosto, nesta quinta-feira (7/11). A briga aconteceu ao vivo durante o programa Pânico na rádio da Jovem Pan.

"Nós temos muitas divergências políticas, eu não tenho problema nenhum em ser criticado pelo meu trabalho, eu critico ele também. Mas o que ele fez foi a coisa mais feia e suja que eu vi na minha carreira como jornalista", disse Greenwald sobre o comentário que Augusto Nunes fez sobre os filhos de Glenn com o deputado David Miranda (Psol-RJ). Em setembro, ele sugeriu que a Justiça deveria investigar a adoção das crianças. 

"Vocês vão perceber, é que ele não sabe identificar ironias, não sabe identificar um ataque bem-humorado", respondeu Nunes. Mas as explicações não pareceram suficientes para Glenn. "Você é um covarde, você é um covarde", repetiu Gleen algumas vezes. "Se falar em covarde, eu vou te mostrar", respondeu Nunes. É nesse momento que o jornalista da Record interrompe Glenn com uma tentativa de soco. 

Eles foram separados rapidamente, mas após o episódio, o apresentador Emílio Surita suspendeu o programa por 12 minutos. Na volta, Augusto tinha deixado a bancada, enquanto Glenn continuou sendo entrevistado. 
No meio do vídeo, o jovem que aparece segurando Greenwald é André Marinho, filho de Paulo Marinho, empresário e suplente de Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) no Senado Federal. André é youtuber e foi responsável por traduzir a ligação que o presidente norte-americano Donald Trump fez ao então presidente eleito Jair Bolsonaro, em outubro do ano passado. A família Marinho recebeu o clã Bolsonaro durante a disputa pela Presidência, tornando sua residência, na Barra da Tijuca, uma espécie de estúdio para vídeos de Bolsonaro.

Repercussão 

A troca de socos entre os jornalistas é um dos assuntos mais comentados do Twitter no início da tarde. O ex-candidato à presidência da República, Ciro Gomes (PDT-CE), gravou um vídeo em solidariedade a Gleen, a quem se refere como "um dos maiores jornalistas do mundo", afirmando estar "indignado".

Ciro disse que "Augusto Nunes é um daqueles vermes, dos piores tipos de gente, que a imprensa brasileira ainda aceita em seu meio". Ele repudiou "a ideia de que nós podemos resolver nossas diferenças na base do esforço físico" e pediu mais "civilidade" no país.

De Brasília, a deputada Luíza Erundina (Psol-SP) também ofereceu sua solidariedade ao jornalista americano, dizendo que ele e a família foram "covardemente agredidos ao vivo". A parlamentar afirmou, ainda, seus desejos de que "a barbárie seja combatida e repudiada". José Guimarães (PT-CE), disse tratar-se de "um verdadeiro atentado contra os direitos e a liberdade de imprensa".


Marcelo Freixo afirmou que Augusto Nunes é um "boçal, violento e covarde". Ponderou que, "depois da canalhice de usar os filhos de Greenwald e Davi Miranda (deputado federal pelo Rio de Janeiro, eleito pelo Psol) para ataca-los, agrediu Glenn no ar". Nas palavras do deputado, é "lamentável o programa querer se promover com provocações baixas e atos de violência".
 

A socióloga e defensora dos direitos das mulheres, Debora Diniz, professora da faculdade de Direito da Universidade de Brasília (UnB), disse que o episódio é "assustador". "Em viva voz e viva imagem, o que faz a homofobia, humilha, agride e mata".

á o astrólogo Olavo de Carvalho, considerado o guru do governo Jair Bolsonaro, saiu em defesa do jornalista da Record. "O Augusto Nunes descendo a porrada no Verdevaldo foi a coisa mais linda da TV brasileira ever", escreveu.

Vaza-Jato

O jornalista americano Glenn Greenwald é o responsável por uma série de reportagens intitulada "Vaza-Jato", baseada em mensagens trocadas entre a força-tarefa da Lava-Jato e o ex-juiz Sérgio Moro, atualmente ministro da Justiça. 

 

As mensagens foram divulgadas em 9 de junho e colocaram em dúvida a imparcialidade de Moro como juiz no julgamento dos processos da operação.


Mais notícias sobre Curiosidades

Curiosidades

Ransomware : Tudo o que você precisa saber sobre esse crime digital.

Inicialmente, urge ressaltar que o ransomware é um Cavalo de Troia...


Curiosidades

Homem com uma doença rara produz cerveja no organismo

Um homem de 46 anos foi diagnosticado nos Estados Unidos com síndrome de...


Curiosidades

Os números estapafúrdios do gigantesco STF

O Supremo Tribunal Federal (STF) é um tribunal gigantesco, extremamente caro e muito...

Curiosidades

Morador procura polícia depois de cair em ‘golpe do nude’

Um fiscal de 32 anos procurou a polícia depois de cair no golpe do "Golpe do...