Geral

Universitário é obrigado a deixar sala de aula por estar sem máscara em Araçatuba: "constrangido na frente de todos"

Caso aconteceu em sala de curso de direito, nesta quinta-feira à noite (17)

Universitário é obrigado a deixar sala de aula por estar sem máscara em Araçatuba: "constrangido na frente de todos"

Um aluno do curso​​ de direito da FEA (Fundação Educacional de Araçatuba) precisou deixar a sala de aula por se recusar em usar a máscara de proteção contra a covid-19, mesmo após o anúncio e publicação do governador João Doria, que desobrigou o uso da proteção em ambientes fechados. O caso aconteceu nesta quinta (17) à noite.

Maxsuel Fernando Costa de Oliveira, de 32 anos, chegou na sala de aula sem máscara depois de se informar sobre a decisão do governo paulista. Ele é estudante do 5º semestre de direito e tinha aula de direito civil. Ao notar que ele estava sem máscara, a professora do curso pediu que ele utilizasse a proteção, ou deixaria a sala de aula.

"Mesmo mostrando a lei, que o decreto já havia sido publicado, ela disse que se eu não usasse, ela sairia da sala, me colocando na berlinda. Para não prejudicar os outros alunos, eu deixei a sala e fui direto para a delegacia registrar um boletim de ocorrência", conta o estudante.

No documento policial, registrado como não criminal, o histórico diz que a professora usou "tom agressivo" para exigir o uso da proteção em sala de aula.

​"Fui ​constrangido na frentes dos colegas classe​, reivindicando o direito que eu tinha e foi tolido​, impedido gozar direito meu, até ​porque já tinha publicado no Diário Oficial", afirmou o estudante.

OUTRO LADO

Em nota, a FEA disse que não houve tempo para orientar os alunos e professores, já que o anúncio do decreto ocorreu no fim da tarde de quinta-feira (17), dia do fato.

"Considerando o fato reportado referente ao uso de máscara em sala de aula, a direção pedagógica da FEA buscou ouvir o professor envolvido e os alunos presentes naquela oportunidade. É preciso ter em mente que o decreto editado pelo governo do Estado de São Paulo, cuja vigência se iniciou em 17/3, dia em que ocorreu o episódio. Embora flexibilizado pelo decreto o uso da máscara em sala de aula, a FEA na oportunidade ainda não havia editado qualquer orientação interna destinada aos alunos e professores nesse sentido. Entendemos que diante da dinâmica cronológica legislativa é natural que a implantação de novas normas possam dar causa a equívocos e conflitos, todavia entendemos também que a razoabilidade e o bom senso devem sempre prevalecer na condução de situações decorrentes da Pandemia de forma que, diante das informações até o momento apuradas internamente, a Fundação irá aguardar os eventuais desdobramentos jurídicos para, oportunamente, resolver perante as instâncias pertinentes".
 



RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba gratuitamente uma seleção com as principais notícias do dia.

Mais notícias sobre Geral

Geral

Aprovado PL que autoriza IPVA zero a motos de até 170 cilindradas

O plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (6) um projeto de resolução...


Geral

Walter Casagrande deixa a Rede Globo após 25 anos: 'Um alívio para os dois lados'

Walter Casagrande Júnior está de saída da Rede Globo. O ex-jogador de 59...


Geral

Alesp reduz tempo de resposta ao cidadão em 79%, mesmo com aumento da demanda

Com a adoção de modernas práticas de governança e gestão, a...

Geral

Após um ano de uso de câmeras em uniformes, mortes por policiais caem 80%

As mortes cometidas por policiais militares despencaram em 19 dos 131 batalhões do estado...