Brasil

Perícia descobre que ossada achada na Barra era de animal



Perícia do IML (Instituto Médico-Legal) na ossada encontrada neste sábado (3) de noite no mar da Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, descartou que fossem restos mortais do menino Edson Davi Silva de Almeida, de 6 anos, que sumiu há um mês na praia da Barra. O laudo mostrou que os ossos eram de um animal.

O laudo foi concluído na tarde deste domingo (4), confirmou ao UOL uma fonte com acesso às investigações. Com isso, a Polícia Civil segue sem pistas do que aconteceu com a criança.

A Delegacia de Descoberta de Paradeiros tem um possível afogamento do menino como principal linha de investigação. A ossada havia chamado atenção por ter sido encontrada na mesma faixa da praia onde Edson Davi foi visto pela última vez, em 4 de janeiro.

A família do menino sustenta que ele pode ter sido sequestrado, mas as investigações não encontraram nenhum elemento que reforce essa tese até o momento.

Edson Davi estava na praia com o pai, Edson dos Santos Almeida, e desapareceu por volta das 17h, quando o pai trabalhava em uma barraca.

Os familiares de Edson Davi fizeram um protesto na manhã deste domingo (4) para marcar um mês do desaparecimento do menino.


RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba gratuitamente uma seleção com as principais notícias do dia.

Mais sobre Brasil