Brasil

Operação Verão é finalizada e contabiliza mais de mil presos e 2,6 toneladas de drogas apreendidas



O reforço de policiais do interior e da capital na Baixada Santista termina nesta segunda-feira (1) com o encerramento da terceira fase da Operação Verão. A estratégia da Secretaria da Segurança Pública para combater o crime organizado por meio da asfixia financeira do tráfico de drogas, agora dá lugar à ampliação de efetivo de 341 PMs que passam a atuar de maneira permanente nas cidades da região.

 

O anúncio foi feito pelo secretário da pasta, Guilherme Derrite. “A operação cumpriu os seus objetivos, seja capturar alvos identificados por um trabalho de inteligência conjunto entre as polícias como reduzir os índices criminais na Baixada Santista. Agora, com a ampliação do efetivo, podemos dar continuidade a esse combate, que será constante”, ressaltou o secretário, ao analisar a região como uma das mais desafiadoras no combate ao tráfico de drogas por conta de sua localização e escoamento de drogas para Europa.

 

Desde dezembro, no início do reforço na segurança na Baixada com as férias de fim de ano, 1.025 infratores foram presos, sendo quase a metade (438) procurada pela Justiça, além de 47 menores apreendidos. As Polícias Civil e Militar retiraram das ruas 2,6 toneladas de drogas e apreenderam 119 armas de fogo ilegais. Esse trabalho resultou na redução de roubos em 25,8% em Santos, São Vicente e Guarujá no primeiro bimestre do ano, quando comparado ao do ano anterior. Em toda a Baixada Santista, fevereiro de 2024 foi o mês com a menor taxa de roubos da série histórica, iniciada em 2001. 

 

As ações da Operação Verão vão dar espaço para a ampliação no efetivo policial promovida pelo Governo do Estado nas principais cidades da Baixada. No final de fevereiro, 341 PMs, entre soldados, cabos e sargentos, passaram a atuar na região. Além disso, há previsão no aumento de policiais civis com a formação de novos agentes neste ano. 

 

No mês passado, a gestão paulista também anunciou uma série de investimentos para fortalecer a segurança na Baixada. Há previsão de aplicar R$ 70 milhões para reformar e concluir obras de unidades policiais e aquisição de equipamentos, como viaturas, barcos blindados e novas armas. “Tudo isso para continuar o combate ao crime na região, elencada como prioritária por conta da grande quantidade de drogas encontrada e de procurados pela Justiça e outros criminosos que foram presos utilizando o território para cometer seus crimes”, destacou o secretário.

 


RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba gratuitamente uma seleção com as principais notícias do dia.

Mais sobre Brasil