Direito

OAB: é preciso celebrar o diálogo respeitando a discórdia

Dia Internacional da Democracia é comemorado hoje (15/9)

OAB: é preciso celebrar o diálogo respeitando a discórdia

Hoje, 15 de setembro, é o Dia Internacional da Democracia. A data, instituída pela Organizações das Nações Unidas (ONU) em 2007, visa ressaltar a necessidade das sociedades promoverem a democratização, o desenvolvimento e o respeito pelos direitos humanos e as liberdades fundamentais. A democracia é um valor universal baseado na vontade expressa livremente pelo povo, em todos os aspectos da vida.




Para comemorar este dia celebrado em todo o mundo, conversamos com Caio Augusto Silva dos Santos, advogado especializado em Direito Constitucional e Presidente da Secional São Paulo da Ordem dos Advogados - OAB SP, entidade que funciona como um escudo defensor de cidadãs e cidadãos no Estado Democrático de Direito, confira:



1. O dia 15 de setembro, Dia da Democracia, nos faz lembrar que o pleno exercício da cidadania é fundamental para a construção de uma sociedade mais igualitária. No entanto, temos visto ataques e repúdio a órgãos e instituições da Constituição Federal, defendendo os interesses de um grupo que agride toda e qualquer ideia ou opinião diversa da sua. O que podemos fazer enquanto sociedade?



Temos vivido momentos de tensão, com o aumento das disputas ideológicas e dos conflitos com as instituições democráticas não só no Brasil, como no mundo. Por isso, é essencial que utilizemos o dia 15 de setembro para refletir sobre a democracia e preservar o diálogo entre autoridades públicas e a sociedade civil, lembrando que o Governo deve servir a toda a população, pois no Estado Democrático de Direito, o cidadão é sua maior autoridade. Assim, a sociedade deve manter, utilizar e pleitear o seu direito de livre expressão e manifestação.



2. No Brasil, a Constituição Federal é considerada a guardiã maior da democracia. Podemos afirmar que o direito ao voto, as eleições são seu maior símbolo?



A Constituição garante a realização das eleições em todos os níveis de Governo para a escolha dos representantes nos poderes Executivo e Legislativo. Em 1932, a Justiça Eleitoral foi criada para assegurar o direito ao voto, de forma universal e igualitária. Desde então, um caminho difícil e tortuoso foi percorrido, com ditaduras e governos autoritários, até o país entrar em um processo de redemocratização, com a criação do novo Código Eleitoral e a reinstalação da Justiça Eleitoral. A Carta da República confere à Justiça Eleitoral a competência para adoção de medidas administrativas e judiciais que visem garantir a participação popular na escolha de seus representantes, legitimando assim o governo do povo. Sem eleições diretas, não há democracia.



3. Qual o papel da Ordem dos Advogados em um ambiente polarizado como o atual?



A Ordem existe para assegurar a essencialidade da Advocacia que por sua vez, garante a Justiça e representa os cidadãos, também atua como porta-voz da sociedade civil. Mantemos o compromisso da livre manifestação da opinião e buscamos contribuir nos grandes debates que interessam à sociedade e à coletividade. O papel da OAB não é de política partidária, é de defesa do cidadão e de respeito à Constituição. Nós acreditamos nas instituições. Acreditamos que o poder Judiciário terá serenidade de resguardar ampla defesa e o contraditório e punir efetivamente aquelas autoridades que são avessas ao cumprimento de regras. Elas existem para que haja pacificação social e convivência de harmonia entre os grupos heterogêneos que compõem a sociedade. O único instrumento colocado à disposição da advocacia para defender o cidadão é a lei. A lei que serve como régua de conduta para todos nós convivermos em sociedade.



4. Temos recorrido cada vez mais a soluções e ferramentas tecnológicas que facilitam o nosso dia-a-dia, principalmente em um contexto de isolamento social, com o aumento das atividades virtuais. Quais são os impactos do nosso comportamento on-line na democracia brasileira?



Quanto mais utilizamos a internet e as redes sociais, mais nos conectamos, compartilhamos conteúdo, geramos dados e difundimos informações. E ser democrático significa poder expressar ideias e sentimentos com liberdade, mas, acima de tudo, respeitar a opinião e sentimentos alheios. Ser democrático requer responsabilidade e entendimento ao princípio dos direitos e deveres. Nesse sentido, quando passamos da condição de meros receptores, para difusores de informação, é essencial que se tenha consciência do poder de impacto das ideias em um ambiente agudizado como o atual, em que as pessoas buscam apenas a confirmação para suas próprias crenças e opiniões e não a verdade acima de tudo, colaborando assim para a instabilidade do Estado Democrático, afetando a credibilidade de nossas instituições e prejudicando a cidadania.



5. A democracia brasileira está ameaçada?



Onde há discordância, há democracia. Como diz o ditado, "quem tudo sabe, nunca ouve ninguém", e é preciso ouvir para entender a legitimidade de todos. Acredito que a sociedade civil e as instituições da Constituição Federal não permitirão um retrocesso. O aperfeiçoamento da democracia é constante, pois a discórdia tem seu preço e isso faz parte do amadurecimento do regime democrático. Desinformação, incitação à violência e notícias falsas só se combate com persistência e transparência no debate político, engajamento e compromisso democrático.



 

Caio Augusto Silva dos Santos, Presidente da OAB SP
 

 

 

 

 

SobreaOABSP




A OAB SP é a maior Secional do Brasil, com mais de 450 mil profissionais inscritos, quase 5 mil estagiários e 33 mil sociedades inscritas. Mantém 120 comissões atuantes, entre permanentes e especiais, que desenvolvem trabalhos de estudo e aperfeiçoamento da legislação, além de zelar pela Advocacia paulista e pelos cidadãos. São 915 postos de atendimento espalhados por todo o Estado, incluindo as 254 Subseções e 241 pontos de Certificação Digital. A entidade promove, com exclusividade, a representação, defesa, seleção e disciplina da Advocacia. Ao defender a Constituição, a ordem jurídica do Estado Democrático de Direito, os direitos humanos e a justiça social, contribui com a consolidação das instituições democráticas e da cidadania brasileira.


RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba gratuitamente uma seleção com as principais notícias do dia.


Mais notícias sobre Direito

Direito

Acusados de tráfico são soltos após invasão policial no domicílio

Um paciente acusado de tráfico e a corré deverão ser soltos após...


Direito

STJ tranca ação penal de furto de steak de 4 reais: "Situação absurda"

A 6ª turma do STJ trancou ação penal em que o paciente foi condenado por...


Direito

Ministro do STJ solta mãe que furtou R$ 21 em miojo, coca e suco

Com base no princípio da insignificância, o ministro do STJ Joel Ilan Paciornik...

Direito

EXCLUSIVO - Advogado Clayton Colavite é absolvido por Crime de Homicídio contra o pecuarista Padula

Depois de horas de Julgamentos no Fórum de Jales, o Advogado Clayton Colavite, foi...