Saúde

Metade da região não registra mortes pela Covid há 1 mês

Segundo levantamento do Diário com base em dados do Estado. Trinta desses municípios não têm óbitos há 60 dias

Metade da região não registra mortes pela Covid há 1 mês

Metade das cidades da região não registra mortes pela Covid há pelo menos um mês, um total de 62 municípios – dentre 120 cidades. Dentro desse universo, há aquelas em que o controle da pandemia está ainda mais avançado: são lugares que não registram nenhum óbito há dois meses, como Guapiaçu, Magda e Poloni. Os dados são do governo do Estado.

Mirassol é um desses municípios sem mortes em 30 dias. “Temos sete pacientes internados: três monitorados em enfermaria, dois monitorados em UTI e dois intubados”, afirma o diretor de Saúde, Frank Hulder de Oliveira. Segundo ele, os pacientes que agora estão em estado mais grave estão hospitalizados há algumas semanas. A velocidade de confirmação de casos positivos tem reduzido: nesta quarta-feira, 6, foram cinco.

Em Ilha Solteira, o último óbito foi em 27 de agosto, de uma idosa de 86 anos. “Diminuíram os casos positivos, ontem chegou um. A gente fica dois, três dias sem caso”, afirma Sirmaley Matioli, chefe de divisão de Vigilância em Saúde. Há alguns dias, as praias foram reabertas, mas os quiosques continuam fechados. Segundo a profissional de saúde, a Guarda Municipal e a Polícia Militar estão fazendo rondas constantes no local, para garantir que as medidas de prevenção estão sendo seguidas.

De acordo com a plataforma da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Estadual Paulista (Unesp), a velocidade de contágio está em 0,93 no Departamento Regional de Saúde (DRS) de Rio Preto, ainda considerada aceitável para frear a pandemia, mas uma alta em relação a semanas anteriores. A ocupação de enfermaria está em 14,9% e a de UTI, que subiu nos últimos dias, está em 29,2%.

Rio Preto ainda não entrou na lista do Estado, mas na última semana deixou de registrar mortes por cinco dias consecutivos, a primeira vez que isso acontece pelo menos desde o primeiro pico da doença, desde julho do ano passado. Nesta quarta-feira, 6, foram confirmados mais 33 casos da Covid-19 e duas mortes pela doença.

No Estado, 467 municípios não registraram óbitos por Covid-19 na última semana, o que significa que sete a cada 10 cidades paulistas não tiveram novas vítimas desde 28 de setembro.

A explicação primordial para a queda na quantidade de casos, internações e consequentemente mortes é a vacinação. De acordo com o Vacinômetro, o DRS de Rio Preto é o mais protegido do Estado, com 67,34% da população completamente imunizada com duas doses de Coronavac, AstraZeneca e Pfizer ou uma dose da Janssen.

Ulysses Strogoff de Matos, infectologista do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, vinculado à USP, pontua que o índice de população vacinada está maior e também há uma grande quantidade de pessoas que tiveram Covid-19 recentemente, portanto ainda carregam alguma imunidade. “Isso mostra que as vacinas são realmente eficazes para prevenir casos graves, internações e óbitos. Todos os estudos comprovam isso e agora está sendo comprovado na prática. Isso não quer dizer que pode haver relaxamento de medidas”, afirma.

Muito se fala em “imunidade de rebanho”, quando a grande maioria da população está vacinada e o vírus, mesmo que existente, não encontra espaço por onde circular, mas isso está longe de acontecer. Especialistas chegaram a estimar alguns números, porém a meta de cobertura vacinal é 90%. “A gente só vai poder fazer relaxamento de medidas a partir do momento que tivermos mais de 90% da população vacinada e o controle da pandemia”, ressalta Matos.

Campanha de vacinação

 

Quem precisa tomar a segunda dose de AstraZeneca, Pfizer e Coronavac pode procurar uma unidade de saúde nesta quinta-feira, 7. Os imunizantes estarão disponíveis nas unidades básicas de saúde e equipamentos públicos e no Shopping Cidade Norte das 8h às 14h.

A aplicação de Coronavac continua com intervalo de 28 dias, a de AstraZeneca é de 12 semanas e a de Pfizer é de oito semanas – há alguns dias, o Estado reduziu de 12 para oito este prazo. Segundo Michela Dias Barcelos, gerente do Departamento de Imunização, muitos estão com a conclusão do esquema vacinal em atraso por desconhecer essa orientação. De acordo com a Secretaria de Saúde, há 33.287 faltosos no total.

As doses de reforço estão disponíveis para idosos e profissionais de saúde que tiverem tomado a segunda dose ou dose única há pelo menos seis meses e imuossuprimidos que tenham concluído o esquema vacinal há pelo menos 28 dias.

O mapa completo das unidades de saúde pode ser conferido em www.riopreto.sp.gov.br/mapavacinas.

A primeira dose da vacina está sendo aplicada por meio da convocação do cadastro para doses remanescentes. Interessados devem acessar o Portal da Prefeitura de Rio Preto e preencher o cadastro, disponível em: www.riopreto.sp.gov.br/vacinacovid. (MG)


RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba gratuitamente uma seleção com as principais notícias do dia.


Mais notícias sobre Saúde

Saúde

Urânia realiza Dia V da Campanha de Multivacinação neste sábado

O Centro de Saúde de Urânia (Postão) estará aberto neste...


Saúde

Jales - De acordo com a Vigilância Epidemiológica foram registradas 14 notificações de casos suspeitos para o novo Coronavírus

De acordo com a Vigilância Epidemiológica foram registradas 14...