Direito

JUSTIÇA DE JALES CONDENA ELEKTRO POR FALTA DE ENERGIA ELÉTRICA DURANTE PROCEDIMENTO CIRÚRGICO EM CONSULTÓRIO DENTÁRIO

A Elektro ainda argumentou que a interrupção do fornecimento de energia elétrica foi provocada pela presença de pássaros na fiação, o que teria causado um curto circuito. A empresa alegou, também, que tomou rápidas providências para reparar a falha no fornecimento.

JUSTIÇA DE JALES CONDENA ELEKTRO POR FALTA DE ENERGIA ELÉTRICA DURANTE PROCEDIMENTO CIRÚRGICO EM CONSULTÓRIO DENTÁRIO

O juiz da Vara Especial Cível e Criminal de Jales, Fernando Antonio de Lima, julgou procedente uma ação de indenização por danos morais, movida por um dentista local contra a Elektro S.A. A sentença, desta sexta-feira, 08, condena a Elektro a pagar indenização no valor de R$ 15 mil.

De acordo com a ação, o dentista realizava um procedimento cirúrgico de implante dentário, quando o serviço teve que ser interrompido abruptamente pela falta de energia elétrica, a qual só foi restabelecida depois de uma hora.

A Elektro ainda argumentou que a interrupção do fornecimento de energia elétrica foi provocada pela presença de pássaros na fiação, o que teria causado um curto circuito. A empresa alegou, também, que tomou rápidas providências para reparar a falha no fornecimento.

Para o juiz, no entanto, a presença de pássaros na fiação é fato perfeitamente comum e previsível, de forma que não pode servir de justificativa para a falha na prestação dos serviços.

“No caso de serviços essenciais, como é o caso da energia elétrica, não basta que o conserto seja rápido. O que se exige é que o serviço seja contínuo, sem interrupções, principalmente quando o serviço essencial de energia elétrica sirva outro serviço também essencial, no caso o da saúde”, ponderou o magistrado.

O juiz ressaltou, ainda, que “não só o atendimento em si foi prejudicado, mas também o próprio paciente foi posto em risco, pela inutilização momentânea de inúmeros equipamentos essenciais”.

Em sua sentença, ele pondera que situações semelhantes – de falha no fornecimento de energia – vem acontecendo reiteradamente em nossa comunidade e conclui afirmando que “os danos morais devem servir não só para compensar a vítima, mas também para punir o ofensor, a fim de que situações análogas não se repitam”.

A Elektro poderá recorrer à segunda instância, no caso o Colégio Recursal.


Mais notícias sobre Direito

Direito

Votuporanga - Juiz concede Liminar para Isenção de IPVA a portador de Deficiência Física.

Depois de dar um tiro no pé, com a retirada de Isenção do ICMS em produtos...


Direito

TJ-SP MANDA YOUTUBE RETIRAR DO AR VÍDEO CONTRA O DEPUTADO FAUSTO PINATO

O desembargador Álvaro Passos, da 2ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de...


Direito

Juízes da região isentam IPVA de veículo de PCD não adaptado

Duas liminares concedidas pela Justiça em Rio Preto e Votuporanga isentaram dois...

Direito

FARRA NO TESOURO: JUSTIÇA ACEITA DENÚNCIA DO MINISTÉRIO PÚBLICO NO CASO DA CONTRATAÇÃO DE SEGUROS DE VEÍCULOS

Em decisão publicada ontem, 08, o juiz da 1ª Vara Cível de Jales, José...