Geral

Governo de SP prevê vacinação contra Covid-19 das 7h às 22h de segunda a sexta e em horário reduzido aos finais de semana

Cronograma, que deve ser iniciado no dia 25 de janeiro, foi apresentado pelo governo paulista aos prefeitos em reunião virtual nesta quarta. Butantan deve enviar pedido de registro e liberação para uso emergencial da CoronaVac nesta quinta, quando governo pretende divulgar dados da eficácia da vacina.

Governo de SP prevê vacinação contra Covid-19 das 7h às 22h de segunda a sexta e em horário reduzido aos finais de semana

O governo de São Paulo apresentou novos detalhes do Plano Estadual de Imunização contra o coronavírus nesta quarta-feira (6), e informou que a vacinação irá ocorrer de segunda a sexta, das 7h às 22h, e de 7h às 17h aos sábados, domingos e feriados.

O anúncio foi feito pelo secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, durante a reunião do governador João Doria (PSDB) com prefeitos do estado para tratar do plano de vacinação.

Produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, a CoronaVac ainda precisa ter a eficácia comprovada antes de ser liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A previsão do governo de São Paulo é a de que os documentos sejam entregues à Anvisa nesta quinta-feira (7), quando também devem ser divulgados os resultados dos testes feitos no país.

Mesmo com os adiamentos na divulgação da eficácia da CoronaVac, o governo mantém a previsão de início da vacinação no dia 25 de janeiro, aniversário de São Paulo.

O secretário também informou que além dos 5.200 postos de vacinação já existentes nas cidades do estado, esse número deve ser ampliado para 10 mil com a utilização de escolas, quartéis da PM, estações de trem, terminais de ônibus, farmácias e sistema drive-thru.

Na 1ª fase, devem ser vacinadas 9 milhões de pessoas no estado. Como a CoronaVac prevê duas doses, estão previstas 18 milhões de doses para essa fase. Além de idosos com mais de 60 anos, serão contemplados os profissionais de saúde, indígenas e quilombolas (veja as datas para cada grupo prioritário abaixo).

“Lembrando que os trabalhadores da área da saúde serão médicos, enfermeiros, mas também toda aquela população que trabalha dentro das unidades hospitalares e que nós realmente precisamos que eles continuem com saúde para não serem afastados em decorrência dessa doença”, disse o secretário.

No total, o governo de São Paulo recebeu até agora da China o equivalente a 10,8 milhões de doses da CoronaVac, considerando os lotes de vacina já pronta para aplicação e os de insumos que serão processados e envasados pelo Instituto Butantan.

Cronograma estadual de vacinação contra a Covid-19, segundo governo de SP

Público-alvo Primeira dose Segunda dose
Trabalhadores da saúde, indígenas e quilombolas 25 de janeiro 15 de fevereiro
75 anos ou mais 08 de fevereiro 1° de março
70 a 74 anos 15 de fevereiro 08 de março
65 a 69 anos 22 de fevereiro 15 de março
60 a 64 anos 1° de março 22 de março

Fonte: Governo de SP

Na logística da 1ª fase de imunização, o governo do estado prevê:

 

  • Atuação de 54 mil profissionais de saúde;
  • Uso de 27 milhões de seringas e agulhas;
  • 5.200 câmaras de refrigeração;
  • 25 postos estratégicos de armazenamento e distribuição regional;
  • 30 caminhões refrigerados de distribuição diária;
  • 25 mil policiais para escolta das vacinas e segurança dos locais de vacinação.

Mais notícias sobre Geral

Geral

Jales adia a volta às aulas respeitando decisão do Comitê de Enfrentamento à Covid-19

Após diversas reuniões entre executivo, profissionais da educação e...


Geral

Incêndio atinge Instituto Serum, que produz vacinas contra a Covid-19 na Índia

Um incêndio registrado nesta quinta-feira (21) atingiu o Instituto Serum, que produz...

Geral

Indignada, médica da Fiocruz diz que não há nada que possa justificar a falta de insumos para vacinas (vídeo)

A pneumologista Margareth Dalcolmo atribui à “incompetência...