Mundo

Como teste de DNA ajudou homem descobrir que irmã era sua mãe, após 7 décadas



No final de 2020, o canadense Paul McLister, de 76 anos, descobriu que a  irmã era, na verdade, sua mãe biológica, graças ao resultado do exame de DNA feito em casa. A família manteve o segredo por 72 anos.

“Sempre soube que fui adotado, desde o início”, disse ele em entrevista ao CTVNews.ca.

McLister foi criado por pais adotivos que tinham duas filhas mais velhas – uma adotada e outra biológica. Embora o casal fosse fechado sobre o assunto das adoções, contaram a Paul que seus pais biológicos eram franco-canadenses que o colocaram para adoção quando criança. Ele não tinha ideia da surpresa que a vida lhe preparava.

Presente que mudou a vida
Os três filhos de McLister o presentearam com um kit de teste de DNA em 2020, já que ele era curioso sobre suas origens. Ele enviou uma amostra, e esperou pelo resultado, que identificou um meio-irmão, com quem tentou contato.

No início, este meio-irmão e os quatro irmãos deles, todos nos Estados Unidos, ficaram cautelosos com o estranho que afirmava ser seu irmão canadense, até que uma peça do quebra-cabeça se encaixou.

A irmã mais velha de Paul, Gloria, teve quatro filhos. A mais velha delas tinha uma foto que queria mostrar a ele. A foto mostrava Gloria grávida no final de 1946 ou início de 1947 – na época em que Paul nasceu.

“Acontece que quem eu pensava ser minha irmã era na verdade minha mãe biológica”, disse Paul, “e minha sobrinha era minha irmã”. E o pai que ele compartilhou com aqueles cinco irmãos nos EUA era seu pai biológico.

Paul acredita que seus pais biológicos se conheceram logo após a Segunda Guerra Mundial em Ontário ou Michigan.

O relacionamento do casal durou pouco e o rapaz pode nunca ter sido informado da existência de Paul. Por alguma razão desconhecida, os pais de Gloria decidiram inventar a história sobre pais biológicos franco-canadenses e fazer Gloria passar por irmã de Paul.

O idoso descobriu que vários membros da família sabiam ou suspeitavam da verdade sobre ele.

Sensação de familiaridade

Paul finalmente entendeu que era parente de sua família adotiva, que sua mãe biológica nunca esteve longe e que os filhos dela eram, na verdade, seus irmãos.

Havia ainda os irmãos com quem ele compartilhava o pai. Depois de descobrir o segredo da identidade de sua mãe biológica, enviou foto sua aos irmãos dos EUA. Isso resolveu tudo.

"Assim que minha meia-irmã paterna viu a foto, ela me escreveu de volta e disse: 'Fiquei muito desconfiado... mas assim que vi sua foto, não tive dúvidas de que você era meu irmão'", disse ele, " porque eu parecia muito com meu pai biológico."

Em apenas dois dias, Paul descobriu que tinha quatro irmãos no Canadá e cinco nos Estados Unidos.

O grupo se comunicou à distância, por causa da pandemia, até que finalmente, em 2022, se encontraram pessoalmente. Paul ganhou 1.500 novas conexões – a maioria primos de terceiro e quarto grau. "Foi incrível, não há outra maneira de descrer", disse ao jornal canadense.

 


RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba gratuitamente uma seleção com as principais notícias do dia.

Mais sobre Mundo