Geral

Bolsonaro diz que Brasil pode romper com a OMS

Afirma que organização é ‘política’ ‘Para que que serve essa OMS?’ EUA tomaram decisão parecida Elogiou Trump: ‘Amigo, irmão’

Bolsonaro diz que Brasil pode romper com a OMS

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta 6ª feira (5.jun.2020) que o Brasil estuda romper relações com a OMS (Organização Mundial da Saúde). O chefe do Executivo federal classificou o órgão como “político”, “partidário” e “ideológico”.

“Ou a OMS trabalha sem o viés ideológico ou nós vamos estar fora também. Não precisamos de gente lá de fora dando palpite na saúde aqui dentro.”

O presidente abordou o assunto enquanto comentava decisão parecida tomada pelos Estados Unidos, que em maio deste ano anunciaram o rompimento com a OMS.

Bolsonaro também falou sobre o presidente norte-americano, Donald Trump, a quem se referiu como 1 “irmão”. Disse torcer para que ele “seja reeleito”.

Segundo o boletim do Ministério da Saúde de 5ª feira (4.jun), o Brasil tem 34.021 mortes pela covid-19.

O QUE É A OMS

Fundada em 1948, é uma agência especializada em saúde subordinada à ONU (Organização das Nações Unidas). Tem 7.000 funcionários em 150 países.

O órgão é responsável por criar diversos padrões da área da saúde, desde doenças infecciosas, como o novo coronavírus, até assuntos como obesidade infantil.

A OMS tem se destacado no combate à covid-19, lançando relatórios diários e recomendações para que os países enfrentem a pandemia sem sobrecarregar os sistemas locais de saúde.

O Poder360 integra o

 


Mais notícias sobre Geral

Geral

Decotelli entrega carta de demissão; ato no 'Diário Oficial' tornará nomeação sem efeito

Cinco dias depois de ter sido nomeado, o ministro da Educação, Carlos Alberto...


Geral

Pior da pandemia de Covid-19 está por vir, alerta OMS

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou nesta segunda-feira (29) que a...


Geral

ALEXANDRE FROTA É CONDENADO A INDENIZAR PETISTA POR FAKE NEWS DIVULGADA DURANTE CAMPANHA ELEITORAL

“Aquele que, por ato ilícito, causar dano a terceiro, fica obrigado a...