Geral

Bolsonarista se desculpa por ataque a bispo, CNBB e papa: “Inapropriado e exagerado”

Deputado estadual por SP Frederico D'Avila (PSL) divulgou carta em que reconhece "excesso", mas dá a entender que a fala foi justificada

Bolsonarista se desculpa por ataque a bispo, CNBB e papa: “Inapropriado e exagerado”

deputado estadual por São Paulo Frederico D’Avila (PSL) divulgou nesta segunda-feira (18/10) uma “carta aberta” em que pede desculpas pelos insultos que fez em pronunciamento na semana passada ao arcebispo de Aparecida, dom Orlando Brandes, à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e ao papa Francisco.

“Não poderia deixar de começar esta carta pedindo desculpas pelo excesso cometido quando do meu pronunciamento na tribuna no dia 14 de outubro, inflamado por problemas havidos nos dias anteriores”, escreveu no texto.

Na tribuna da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), na última quinta-feira (14/10), D’Avila, aliado de primeira hora do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), chamou os líderes católicos de “vagabundos” e “pedófilos safados”.

“Seu safado da CNBB dando recadinho para o presidente [Bolsonaro], para a população brasileira, que pátria amada não é pátria armada. Pátria amada é a pátria que não se submete a essa gentalha. (…) Seu vagabundo, safado, que se submete a esse papa vagabundo também. A última coisa que vocês tomam conta é do espírito, do bem-estar e do conforto da alma das pessoas. Você acha que é quem para ficar usando a batina e o altar para ficar fazendo proselitismo político? Seus pedófilos safados, a CNBB é um câncer que precisa ser extirpado do Brasil.”

Mesmo reconhecendo, entretanto, que o pronunciamento foi “inapropriado e exagerado”, o deputado bolsonarista listou episódios ligados a líderes católicos, em uma aparente tentativa de dizer que a fala, embora errada, teria sido justificada.

Na carta, D’Avila chama pronunciamento do arcebispo de Aparecida, no qual o religioso afirmou que “pátria amada não é pátria armada”, de “desnecessário”. Ele também reclama de uma fala do bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte, dom Vicente Ferreira, justamente em reação aos ataques feitos por D’Avila. No Twitter, no sábado (16/10), o bispo escreveu:

“Deputado bolsonarista chamando o papa e o arcebispo de vagabundos, a CNBB de câncer e incitando a violência contra as vias campesinas. Se os ricos estão nervosos é porque estamos no caminho certo. MST! A Luta é pra valer. Pátria livre! Venceremos. Primeiro passo: #ForaBolsonaro.”

 

 

“Meu pronunciamento, que admito ter sido inapropriado e exagerado pelo calor do momento, se deu em resposta a alguns líderes religiosos que ultrapassam os limites da propagação da fé e da espiritualidade para fazer proselitismo político. Reitero que desculpo-me pelas palavras e exagero”, escreveu D’Avila.

E continuou: “Não tive a intenção de desrespeitar o papa Francisco, líder sacrossanto e chefe de Estado, minha fala foi no sentido de divergir sobre ideias e posicionamentos, tão só. Inserir o papa em minha fala foi um erro, pelo qual humildemente peço desculpas a todos
os católicos do Brasil e do mundo, pois não considerei a figura espiritual que ele representa.”

Leia a carta na íntegra:

 

 

 

 

 

 

 


RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba gratuitamente uma seleção com as principais notícias do dia.


Mais notícias sobre Geral

Geral

Em decisão inédita, OAB SP exclui advogado de seus quadros devido à prática de racismo

São Paulo, 3 de dezembro de 2021.   Pela primeira vez na...


Geral

Após casos de ômicron, Governo de SP decide manter exigência de máscara em espaços abertos

O Governador João Doria decidiu nesta quinta-feira (2) atender recomendação...


Geral

Artesp convoca empresas para assumirem linhas intermunicipais na região de Jales (SP)

Solicitação da Transrápido São Francisco, atual...

Geral

Estado de São Paulo confirma 3º caso da variante Ômicron

A Secretaria de Estado de São Paulo confirmou, nesta quarta-feira (1), o terceiro caso da...