Geral

Avião com Marília Mendonça atingiu cabo de torre de distribuição antes de cair em MG, diz Cemig

Relatos de pilotos e moradores da região indicaram rompimento de fios perto da pista de pouso de Caratinga. Aeronave teria perdido motor

Avião com Marília Mendonça atingiu cabo de torre de distribuição antes de cair em MG, diz Cemig

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) disse nesta sexta-feira (5) que o avião que transportava Marília Mendonça e outras quatro pessoas atingiu um cabo de uma torre de distribuição da empresa, em Piedade de Caratinga, no Vale do Rio Doce.

 

 

A Aeronáutica apura diversas hipóteses para o acidente aéreo que matou a cantora Marília Mendonça, de 26 anos.

 

 

O avião, um bimotor King Air da Beech Aircraft, fabricado em 1984, decolou de Goiânia e caiu em uma cachoeira a 2 quilômetros da pista onde faria o pouso, segundo informou a Polícia Militar mineira. A aeronave tinha capacidade para 4,7 mil quilos e podia levar até 6 passageiros.

Informações preliminares relatadas por pilotos que sobrevoaram a região próximo ao momento do acidente e também de testemunhas são de que o avião "rasgou" fios de alta tensão ligadas a uma torre próximo ao local.

 

Nos meses anteriores ao acidente, outros pilotos já haviam relatado aos órgãos aéreos da região que os fios elétricos atrapalhariam o pouso no aeródromo de Caratinga. São relatos chamados Notam (Notificação Aeronáutica), e que indicam dados sobre riscos e alertam outros pilotos que se dirigem à região sobre perigos para operar no local.

Uma testemunha do acidente, que também é piloto, relatou às autoridades que o avião da cantora teria perdido um dos dois motores após colidir contra os fios, e o impacto fez com que a aeronave perdesse sustentação.

Para confirmar os fatores que podem ter contribuído para o acidente, a FAB terá de tomar as seguintes ações:

 

  • fazer uma perícia nos destroços do avião;
  • ouvir testemunhas da decolagem e pouso;
  • recuperar documentos, dados de inspeções técnicas e de manutenção;
  • e checar a qualidade do combustível usado na operação.

 

Veja que já se sabe sobre a queda do avião

Em nota, a Aeronáutica informou que "investigadores do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA 3), localizado no Rio de Janeiro (RJ), órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA)" foram deslocados para o local da tragédia para apurar o acidente.

As causas do acidente serão apuradas. Peritos foram enviados ao local pela Aeronáutica e pela Polícia Civil de Minas Gerais.

 

 

 

Relatos indicavam riscos em região

 

Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o avião de Marília Mendonça estava com a documentação em dia e tinha autorização para fazer táxi aéreo.


RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba gratuitamente uma seleção com as principais notícias do dia.


Mais notícias sobre Geral

Geral

Em decisão inédita, OAB SP exclui advogado de seus quadros devido à prática de racismo

São Paulo, 3 de dezembro de 2021.   Pela primeira vez na...


Geral

Após casos de ômicron, Governo de SP decide manter exigência de máscara em espaços abertos

O Governador João Doria decidiu nesta quinta-feira (2) atender recomendação...


Geral

Artesp convoca empresas para assumirem linhas intermunicipais na região de Jales (SP)

Solicitação da Transrápido São Francisco, atual...

Geral

Estado de São Paulo confirma 3º caso da variante Ômicron

A Secretaria de Estado de São Paulo confirmou, nesta quarta-feira (1), o terceiro caso da...